×

Orientação nutricional para a Páscoa

A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes entre as culturas ocidentais. É também, um período conhecido por muitos, devido há grande procura por um alimento que requer certo controle: o chocolate.  Na hora do consumo, o problema não é consumir o chocolate e sim exagerar na dose. Do ponto de vista nutricional, o chocolate pode ser considerado nutritivo (fonte de proteínas, carboidratos, gorduras, cálcio, ferro, fósforo e potássio) desde que consumido com moderação.

Sendo assim, algumas medidas são interessantes para evitar os excessos da época:

- Se puder escolher o chocolate, prefira aqueles com mais de 70% de cacau e consequentemente possui menor quantidade de açúcar. O cacau possui funções antioxidantes que são importantes para manter a beleza da pele além de promover a liberação de endorfina que traz a sensação de bem-estar.

- Procure fracionar o consumo. Como? Consuma em pequenas porções por dia. Tente consumir no máximo 30 a 40 gramas por dia (equivalente a 3 a 4 quadradinhos da barra comum).

- Caso você exagere no consumo do chocolate não tente compensar nas outras refeições ficando em jejum. Consuma refeições leves e ricas em vegetais e proteínas magras como o peito de frango e peixes. Não pense apenas em equilibrar calorias... o seu corpo precisa de nutrientes. 

Entre a enorme variedade de ovos de Páscoa disponíveis no mercado, alguns podem ser mais saudáveis do que outros. Segue algumas dicas de como escolher o ovo de Páscoa ideal:

- Opte por versões mais simples e não as trufadas ou recheadas. Se a escolha não for pelo chocolate meio amargo ou com 70% de cacau, que pelo menos seja um ao leite simples. Os recheios tendem a deixar o ovo ainda mais calórico.

- O chocolate branco não é uma boa escolha. Isso porque em sua composição entra apenas a manteiga de cacau, um tipo de gordura saturada extraída do fruto. O chocolate branco é mais calórico, tem mais açúcar e mais gordura.

- O cacau também pode ser substituído por outro ingrediente de sabor semelhante e com propriedades nutricionais mais interessantes: a alfarroba. A alfarroba tem mais fibras, boas quantidades de vitaminas e minerais e, quando comparado com o chocolate, tem menos açúcar e menos gordura. O açúcar natural dessa vagem é maior do que o açúcar presente no cacau, o que dispensa a inclusão de adoçantes na fabricação. 

- Para evitar o exagero, uma dica é abrir um só ovo por vez e dividi-lo em pedaços pequenos, limitando o consumo diário. Não deixar todos os ovos à vista pode ser uma boa ideia para evitar a tentação de querer experimentar todos de uma vez. Dê preferencia a ovos de páscoa pequenos.

- Não substitua o chocolate pelas refeições diárias, opte para comer o doce na hora da sobremesa, pois a alimentação equilibrada deve ser mantida. Uma dica é quebrar o ovo em pedacinhos de chocolate e misturá-los às frutas.

- O ideal é a após as refeições, principalmente o almoço, porque há outros alimentos a serem absorvidos, como carboidratos, proteínas e também as gorduras. Então, a absorção do próprio chocolate não será 100%. Diferentemente, se consumido no meio da tarde, com o estômago vazio.

Feliz Páscoa!!!

Luana Oliveira - Estagiária de Nutrição
Supervisão: Francisca Malvina Feitosa de Oliveira Duarte
Nutricionista Sesc Cidadania e Educação Continuada