×

Alunos do Sesc Cidadania expõem produto criado para a Feira Miniempresas

Em sua 6ª participação na Feira de Miniempresas, projeto da Junior Achievement, o Sesc Goiás incentiva o perfil empreendedor dos estudantes

10 Jun 2019 16h27 atualizado 10 Jun 2019 16h36

A Feira de Miniempresas 2019 garantiu que 27 alunos do segundo ano do Ensino Médio do Sesc Cidadania dessem um show de empreendedorismo e maturidade. Eles participaram com a criação da empresa “Poe na Mesa”, que desenvolveu o suporte 3 em 1 com as funções de apoio de colo multiuso, quadro decorativo e almofada, e foi exposto no Shopping Flamboyant para a fase de comercialização. Os alunos aprenderam todas as etapas para o desenvolvimento de uma empresa como, por exemplo, criação, produção, marketing e vendas e recursos humanos. Além disso, eles terão que desenvolver um relatório de tudo o que foi feito até o final do projeto. Para isso, os alunos contam com o apoio dos advisers de cada área, que são os conselheiros da turma.

O presidente da miniempresa e aluno do Sesc Cidadania, Gabriel Dias, falou sobre o suporte criado. ”Nosso produto este ano é totalmente sustentável. É feito com madeira reciclada e a parte da almofada é feita com retalhos e não precisa de sacola, pois tem uma alça para carregar na mão”, explicou.

O projeto da miniempresa ensina aos jovens empreendedores a fazerem a empresa acontecer, desde a criação da missão, visão e valores até como desenvolvê-la na prática com estudos de mercado e todos os processos necessários. De acordo com regras, apenas 30% do produto pode ser terceirizado, então os próprios participantes realizaram quase todo o processo como preenchimento da almofada, compraram a madeira, fizeram a pintura, vernização, cortes e furos até chegarem ao produto final. Agora nessa etapa de venda, eles vão sentir se houve lucro ou não, por meio do relatório.

Pedro Henrique Alves, funcionário de RH da empresa “Poe na Mesa” e aluno do Sesc Cidadania, destaca que os principais desafios foram “lidar com pessoas que não têm o comportamento tão maduro, pouco tempo para produzir e dificuldade ao conquistar a pessoa para comprar o produto na hora, sem deixar para depois.” De acordo com ele, a experiência foi muito positiva: “Eu aprendi que consigo ser empreendedor. Já me falaram que eu tinha esse olhar, só que eu não confiava muito nisso e, agora, posso tentar. Esse projeto me ajudou muito a perder a vergonha de falar em público e a ter relações interpessoais”, concluiu.

O conselheiro de marketing e vendas da turma, Edilson Ribeiro, conta que a maior dificuldade dentro da miniempresa foi mostrar para os alunos que o marketing vai muito além das redes sociais, pois ele tem uma abrangência enorme dentro de qualquer empresa. “Todos os alunos foram bem instruídos e elaboraram o plano de ação, através de um estudo de marketing que nós fizemos dentro da sala de aula e na comunidade da região do colégio. Essa experiência tem sido maravilhosa, inclusive me chamou muita atenção o trabalho deles, dentro do que estudamos, na divulgação do Show de Talentos para arrecadação de alimentos”, pontuou. Para Edilson, “esse projeto vai acrescentar muito na vida dos alunos. Tenho certeza que eles vão sair cheios de ideias inovadoras e com uma mente mais aberta para o mercado de trabalho”, enfatizou.

A conselheira de RH da turma, Sirlene Lúcia, falou sobre o comprometimento dos estudantes com o programa. “Estou impressionada com a garotada, eles começaram de maneira tímida, mas depois foram se soltando, cheios de vontade para serem empreendedores. Do início até agora foi impressionante o crescimento da turma, pois eles viram a importância de todo o processo do que é ser empreendedor”, ressalta.

Sirlene ainda falou sobre a experiência como adviser do projeto. “Estou orgulhosa, além de ser adviser, sou mãe e minha filha está participando. Se na minha época tivesse um programa desses, eu estaria bem diferente hoje, porque eu vejo bastante que o Sesc incentiva isso. Temos um adviser, que inclusive estudou no Sesc e hoje tem seu próprio negócio. O Sesc está de parabéns por abrir essa oportunidade”, ponderou.

De acordo com a diretora executiva da Junior Achievement em Goiás, Marisa Brandão, a empresa começa com a venda de ações, onde cada aluno teve que comprar uma para começar adquirir o material, e no final, será preciso devolver o dinheiro com lucros para demonstrar como eles conseguiram se manter prestando contas de tudo o que foi feito. Segundo ela, são avaliados seis quesitos ao longo da jornada de 15 semanas: Negócio Sustentável, Produto Destaque, Maior Faturamento e Rentabilidade, Melhor Relatório Final, Equipe Empreendedora, que soma um pouco de todas essas pontuações e mais o Desenvolvimento do Perfil Empreendedor. Ao fim do programa, essas categorias serão premiadas com troféus entregues na formatura e a Equipe Empreendedora receberá a cortesia de um jantar no restaurante Outback.

Marisa destaca que o Sesc tem uma parceria de longa data com a Junior Achievement e um resultado muito satisfatório. “O projeto só acontece a partir da participação das empresas, das escolas e dos voluntários. Então ter uma escola, como o Sesc, que apoia e tem um olhar de acompanhamento favorece muito o bom desempenho dos alunos. Além das premiações, verificamos que esses alunos realmente absorvem a experiência e conseguem tirar grande aprendizado, pois eles começam a ganhar autonomia e assumir responsabilidades”, afirma. 

Durante a jornada foram realizados desafios que somaram pontos para o resultado final. A turma do Sesc Cidadania realizou ainda um show de talentos, o que lhe rendeu o terceiro lugar em arrecadação de alimentos. Também acontecerá a assembleia geral para encerramento do projeto na última semana de junho e a formatura, que será no dia 14 de agosto, no Centro de Convenções de Goiânia, onde haverá a entrega dos certificados e troféus.